Travessia em Porto Nacional segue com apenas uma balsa e usuários reclamam da demora

Apenas uma balsa segue fazendo a travessia do rio Tocantins, em Porto Nacional, após uma semana do início do serviço. A segunda embarcação ainda aguarda liberação da Marinha. Enquanto isso, os motoristas e passageiros precisam esperar por horas até embarcar. Além disso, cada travessia demora 45 minutos.

A balsa foi necessária porque a ponte sobre o rio Tocantins foi completamente interditada para veículos. “Até hoje está desse jeito, sem funcionar e as pessoas sofrendo na fila”, disse a dona de casa Maria Tereza.

“Já faz mais de hora esperando e disse que gente vai sair daqui mais de 19h. Tá certo?”, reclamou o agricultor Marcelo Mantovani.

O pintor Evandro Gomes mora em frente à balsa e diz que quando escurece o local fica muito perigoso. Não tem nenhum tipo de policiamento. “A balsa demora demais. É só uma e muito longe. Quando vem chegando perto já está todo mundo estressado, querendo entrar primeiro. Aí já gera discussões”, afirmou.

A interdição da ponte também tem causado transtorno para quem precisa viajar. Antes da interdição, 10 empresas de viagem que operam na rodoviária de Porto Nacional faziam linha para Goiânia.

Com a interdição, sete empresas cancelaram essa linha. “Atrapalha muito porque a gente tem que ficar fazendo baldeação em outros lugares ou esperando”, afirmou Ednei dos Santos.

A dona Valderiza Alves Gomes tem família em Goiás e diz que o trajeto agora está maior. Pois o ônibus precisa ir para Palmas e só depois segue viagem. “Está sendo mais difícil porque atrasa um pouco mais a viagem. Geralmente a gente chegava aqui 6h, agora chega 8h ou 8h30”, disse.

Outro lado

A Secretaria da Infraestrutura, Estado e Habitação informou, em nota, que a Marinha deve realizar uma nova vistoria na segunda balsa nesta sexta-feira (8). A previsão é de que a embarcação entre em operação logo depois.

Com relação a segurança do local, a secretaria disse ter solicitado à Polícia Militar que intensifique o patrulhamento ostensivo nos locais de embarque.

Com informações TV Anhanguera