Sudão libera estoque de Bíblias que estava preso há quase seis anos

O governo do Sudão liberou um carregamento de Bíblias que permaneceu preso no país por quase seis anos. As edições das Escrituras estão em árabe e foram autorizadas a deixarem a alfândega há cerca de duas semanas.

As Bíblias foram transportadas para a capital, Cartum. Segundo uma fonte local, há anos os líderes cristãos do Sudão vêm lutando para que o carregamento fosse liberado.

“Desde 2011, oficiais da alfândega têm atrasado a liberação de diversos carregamentos de Bíblias em árabe pelo porto do Sudão, sem nenhuma explicação”, foi o que disse a fonte local. Ela ainda ressaltou que Bíblias foram deixadas em containers.

Segundo a fonte, os livros permaneceram no porto, sem preservação e sofreram deteriorações, enquanto quase 2 milhões de cristãos no país enfrentam uma escassez de Bíblias e materiais de ensino.

Novas Bíblias

Vale ressaltar que em outubro do ano passado, um líder cristão que supervisiona a importação de Bíblias e literatura cristã para o Sudão disse que a Sociedade Bíblica não recebeu nenhuma nova Bíblia para distribuir no Sudão desde 2013.

Segundo informações da Portas Abertas, o Sudão é o quarto país na Lista Mundial de Perseguição 2018, entre os 50 países onde é mais difícil viver como cristão.

Omar al-Bashir, que é presidente do Sudão, disse em 2011 que queria adotar uma constituição “100% islâmica” após a maioria cristã do sul ter votado por se separar. Foi então quando missionários estrangeiros passaram a ser expulsos. Além disso, há histórico de igrejas confiscadas ou demolidas, além de líderes perseguidos e presos.(Guiame)