Produtividade de desembargadores do Tocantins é a 6ª melhor do país

Dado apurado pelo Relatório Justiça em Números, divulgado recentemente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Índice de Produtividade dos Magistrados do Tocantins (IPM), em 2º grau, está entre os seis melhores do país, sendo o terceiro no ranking dos tribunais de pequeno porte.

Conforme o levantamento, o IPM é o indicador que computa a média de processos baixados por magistrado em atuação e, em 2017, cresceu nas duas instâncias. Em primeiro grau, o IPM aumentou em 2,8% e no segundo grau, o crescimento foi de 5,5%.

Em uma análise geral dos dados apresentados ao longo dos anos pelo CNJ, o IPM do TJTO passou de 592, em 2010, para 1.359 em 2017 – crescimento de aproximadamente 130%. Somente no 2º grau, o índice triplicou nos últimos oito anos, sendo que a variação entre 2016 e 2017 foi de 21,4 pontos percentuais.

“O trabalho dos magistrados do Tocantins só fica atrás, em produtividade, dos tribunais de Sergipe, Rio Grande do Sul, Alagoas, São Paulo e Minas Gerais. Atingir IPM de 1.442 é um resultado bastante positivo e que reflete bem o esforço concentrado do Judiciário estadual para entregar uma Justiça mais célere e eficaz ao cidadão”, avaliou o juiz auxiliar da Presidência do TJTO, Adriano Gomes.