Praga da citricultura afeta pomares em São Paulo

Índice da doença é considerado severo no município de Matão

A incidência de greening, doença mais severa da citricultura, diminuiu 15,3% na região de Matão, um dos principais municípios produtores, passando de 21,63% em 2017 para 18,32% em 2018, segundo levantamento realizado pelo Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus).

Apesar da redução, o Fundecitrus destaca que o índice da doença é considerado severo e a região é a quinta mais afetada das 12 regiões que compõem o cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste Mineiro, atrás apenas de Brotas (58,16%), Limeira (34,01%), Duartina (32,78%) e Porto Ferreira (27,41%).

O índice de greening em Matão está próximo da incidência média verificada em todo o parque citrícola, que é de 18,15%, a maior já registrada desde que a doença chegou ao país, em 2004. (Datagro)