Operação “Jagunço” da Polícia Civil prende quatro suspeitos e apreende 24 espingardas no interior do Estado

A Polícia Civil do Tocantins, em conjunto com a Polícia Civil do Maranhão, deflagrou, na manhã desta quinta-feira (11), a Operação “Jagunço”, que resultou na prisão de quatro suspeitos de tráfico de drogas e comércio ilegal de armas de fogo.

De acordo com o delegado Tobias Luiz Nunes de Souza, titular da Delegacia de Polícia de Goiatins-TO, as ações foram iniciadas em vários pontos do Povoado Helenópolis, na zona rural de Carolina-MA, onde estaria ocorrendo suposto comércio ilegal de armas de fogo, que se estenderia até as cidades circunvizinhas de Goiatins e Campos Lindos, no Tocantins.Centenas de munições foram apreendidas pela Polícia Civil no interior do Estado

No local, as forças policiais conseguiram capturar em flagrante dois indivíduos, de iniciais M.J.S, de 42 anos, e A.A, de 77 anos, responsáveis pelo gerenciamento da venda, e apreender um verdadeiro arsenal, composto por 19 armas de fogo – a grande maioria espingardas -, dezenas de caixas de munições de diversos calibres, pólvora e chumbos para recarga de cartuchos, espoleta, dentro outros objetos.

Em continuidade às ações da operação Jagunço, os policiais civis foram até o povoado Estiva, que fica localizado na zona rural de Goiatins-TO, onde efetuaram as prisão de dois indivíduos, de iniciais J.S.T, de 37 anos, e I.A.S, de 32 anos, os quais estavam de posse de 78 papelotes de maconha, bem como apreenderam cinco armas de fogo, tipo espingarda, calibres 20, 36 e 22.

Os indivíduos foram conduzidos para as Delegacias de Polícia Civil de Goiatins-TO e também para a unidade policial de Carolina – MA, para a realização dos procedimentos legais cabíveis. Na Delegacia de Carolina-MA, o delegado Henrique Tanaka autuou M.J.S e A.A por comércio ilegal de armas de fogo e serão encaminhados ao sistema prisional do Maranhão. Já J.S.T e I.A.S foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e serão recolhidos à Casa de Prisão Provisória de Araguaína (CPPA), onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

Conforme o delegado Tobias Nunes de Souza, a operação Jagunço foi umas das maiores ações de apreensão de armas e munições já realizadas na região.

Rogério de Oliveira, Palmas