Mutirão de combate ao câncer de pele realizará atendimentos gratuitos no HGP

Com o intuito de estimular a população a prevenir e diagnosticar o câncer da pele foi criado o movimento de sensibilização conhecido como Dezembro Laranja “se exponha, mas não se queime”. Para marcar a data, no dia 1º de dezembro (sábado), um mutirão realizará mais de 400 atendimentos dermatológicos gratuitos no Hospital Geral de Palmas (HGP). A ação é da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) em parceira com a Secretaria de Estado da Saúde e o Hospital Geral de Palmas e acontecerá das  8h às 16h.

Os atendimentos serão totalmente voltados ao câncer de pele e funcionarão da seguinte forma: os pacientes serão atendidos por ordem de chegada. Nos casos de indicação cirúrgica o paciente será encaminhado para o centro cirúrgico ou agendado conforme orientação médica. Lembrando que após estes atendimentos os pacientes receberão  acompanhamentos durante  todo o tratamento.

De acordo com estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca) para o ano de 2018 prevê o aparecimento de 240 casos de câncer não melanoma. Só este ano, de acordo com dados parciais do  HGP,  foram 187  casos de câncer tratados no Ambulatório de Especialidade da Unidade, destes 84 do sexo feminino e 103 masculino. A maioria dos casos foram o carcinoma basocelular (é o tipo de câncer de pele mais comum, representando cerca de 95% de todos os casos de câncer de pele. Ele surge como pequenas manchas que vão crescendo lentamente ao longo do tempo), afirmou.

O  mutirão contará com ajuda de  cerca de 130 profissionais entre dermatologistas clínicos, cirurgiões ambulatoriais,  cirurgiões, residentes de cabeça e pescoço, oncológicos, estudantes, recepcionistas além da equipe da limpeza. Serão sete consultórios para  realização de atendimento ambulatorial e  três salas cirúrgicas.

 A médica dermatologista  que atua  área da oncodermatologia do HGP e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Luciane Prado  convida as pessoas para  o Dia  Nacional da doença. “Atualmente o câncer de pele  é o mais frequente de todos os tumores. Convidamos a população  para esta ação. Será um dia de esclarecimento de como prevenir, como diagnosticar, teremos tratamento e contaremos com ajuda de toda  equipe  do HGP”,  declarou.

Sobre o Dezembro Laranja 

 Ação foi criada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia em 2014, que sempre no último mês do ano, a entidade realiza ações para lembrar como evitar o câncer mais comum no país e convida a população a compartilhar nas redes sociais uma foto vestindo uma peça de roupa laranja, publicando-a com a hashtag #dezembrolaranja.

Sobre o câncer de pele

O tipo mais comum, o câncer da pele não melanoma, tem letalidade baixa, porém, seus números são muito altos. A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Essas células se dispõem formando camadas e, de acordo com as que forem afetadas, são definidos os diferentes tipos de câncer. Os mais comuns são os carcinomas basocelulares e os espinocelulares. Mais raro e letal que os carcinomas, o melanoma é o tipo mais agressivo de câncer da pele.

 Medidas de proteção

– Usar chapéus, camisetas, óculos escuros e protetores solares.

– Cubra as áreas expostas com roupas apropriadas, como uma camisa de manga comprida, calças e um chapéu de abas largas.

– Evitar a exposição solar e permanecer na sombra entre 10 e 16 horas (horário de verão).

– Na praia ou na piscina, usar barracas feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta. As barracas de nylon formam uma barreira pouco confiável: 95% dos raios UV ultrapassam o material.

– Usar filtros solares diariamente, e não somente em horários de lazer ou de diversão. Utilizar um produto que proteja contra radiação UVA e UVB e tenha um fator de proteção solar (FPS) 30, no mínimo.  Reaplicar o produto a cada duas horas ou menos, nas atividades de lazer ao ar livre. Ao utilizar o produto no dia a dia, aplicar uma boa quantidade pela manhã e reaplicar antes de sair para o almoço.

– Observar regularmente a própria pele, à procura de pintas ou manchas suspeitas.

– Manter bebês e crianças protegidos do sol. Filtros solares podem ser usados a partir dos seis meses.

– Consultar um dermatologista uma vez ao ano, no mínimo, para um exame completo.

Luciana Barros, Palmas