Furacão Florence atinge costa da Carolina do Norte

Mais de 400.000 pessoas estão sem energia elétrica em todo o estado; tempestade provoca fortes ventos, chuvas e inundações

O olho do furacão Florence atingiu na manhã desta sexta-feira (14) a costa da Carolina do Norte, nos Estados Unidos. A tempestade tocou o solo próximo da cidade de Wrightsville Beach às 7h15 do horário local (8h15 em Brasília), segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês).

Lata de lixo flutua após o rio Neuse transbordar, durante a passagem do furacão Florence em New Bern, no estado americano da Carolina do Norte - 13/09/2018

Lata de lixo flutua após o rio Neuse transbordar, durante a passagem do furacão Florence em New Bern, no estado americano da Carolina do Norte – (Chip Somodevilla/Getty Images/AFP)

A costa leste do país já sofre com fortes ventos e chuvas, que causam inundações. O furacão de categoria 1 provoca atualmente ventos de até 144 quilômetros por hora e quase 8 centímetros de chuva por hora.

Segundo boletim divulgado pelo NHC, a tempestade se move a 9 km/h em direção ao interior da Carolina do Norte e posteriormente deve atingir o estado da Carolina do Sul.

De acordo com as autoridades locais, mais de 400.000 pessoas estão sem energia elétrica só na Carolina do Norte. O número pode aumentar nas próximas horas, a medida em que a tempestade se desloca.

Meteorologistas alertam que algumas regiões da costa da Carolina do Norte e do Sul podem receber mais de 1 metro de chuva. Segundo as previsões, ventos fortes podem empurrar a água do mar e de rios para as cidades, causando grandes danos.

Telhados de casas nas cidades de Morehead City e New Bern foram arrancados pela força dos ventos. Em Jacksonville, mais de 60 pessoas tiveram de deixar um hotel depois que o teto do edifício foi levado pelo vento.

A área de New Bern foi uma das mais atingidas até o momento. Pelo menos 100 pessoas presas em suas casas foram resgatadas, enquanto outras 150 ainda esperam ser retiradas de áreas alagadas, segundo o jornal The Washington Post.

Há alertas de risco de inundações ativos para as cidades de Wilmington, Washington, Riverbend e Vanceboro, na Carolina do Norte. Nas últimas horas, moradores observaram o nível das águas de rios e do mar subir ainda mais do que já havia subido nos últimos dias.

Autoridades dizem que cerca de 1,7 milhão de pessoas nas Carolinas do Sul e do Norte e na Virgínia receberam ordem para deixar suas casas, mas não se sabe quantas cumpriram a determinação.

“O pior da tempestade ainda não chegou, mas essas são advertências para os dias que se seguirão”, alertou o governador da Carolina do Norte, Roy Cooper. “Sobreviver ao furacão será uma prova de resistência, trabalho em equipe, senso comum e paciência.” Ele solicitou ajuda federal adicional para desastres diante do que qualificou como “danos históricos” em todo o estado.

Brock Long, diretor da Agência Federal de Administração de Emergências (FEMA), advertiu que a população deve levar o furacão a sério, apesar da queda de categoria. Ele destacou que os moradores não devem baixar a guarda porque a velocidade do vento caiu nas últimas horas.

Mais de 1.300 voo foram cancelados em todos os aeroportos da costa leste dos Estados Unidos somente nas primeiras horas desta sexta-feira, segundo a emissora CNN.

Por estar próximo da costa, Florence provoca chuvas torrenciais que devem durar vários horas. De acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia (NWS), 4,9 milhões de pessoas devem ser afetadas por chuvas de mais de 250 mm nos próximos quatro dias.

O olho do furacão ainda deve percorrer toda a costa da Carolina do Norte e do Sul antes de deixar os Estados Unidos, segundo as previsões dos meteorologistas. Regiões mais no interior dos estados também devem sentir os efeitos da tempestade, assim como os Estados da Georgia, Tennessee, Alabama, Kentucky, Maryland e Virgínia Ocidental.

(Com EFE e AFP)