Estão abertas as inscrições de prêmio que reconhece cientistas brasileiras

contribuição da mulher na ciência está longe de ser a ideal.Uma pesquisa realizada entre 2013 e 2014 pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP), entre os membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC) mostra que o número de mulheres no setor de engenharia elétrica é de 13 para 269 homens. Nas áreas de física e matemática são 101 mulheres para 806 homens e 29 para 271, respectivamente.

Segundo o último censo do IBGE, no entanto, 51,09% da população são mulheres. A conta não fecha. Diante desse cenário, ações para incentivar e principalmente reconhecer a participação das mulheres na ciência são cada vez mais importantes.

Com essa intenção, surge o prêmio Para Mulheres na Ciência, que já está em sua 14ª edição, e está com inscrições abertas. O evento é realizado pela Academia Brasileira de Ciências (ABC) e pela L’Oréal, em parceria com a UNESCO no Brasil. Todo ano há sete jovens pesquisadoras campeãs em áreas como Ciências da Vida, Ciências Físicas, Ciências Químicas e Matemática. O prazo para participar acaba no dia 30 de abril.

Ao longo dos últimos 14 anos, o prêmio já reconheceu cerca de 90 cientistas brasileiras, com a distribuição de aproximadamente R$ 4 milhões em bolsas-auxílio. Esse ano, cada vencedora receberá um valor de R$ 50 mil para dar prosseguimento aos seus estudos. As ganhadoras serão divulgadas a partir de agosto.

O Júri é composto por especialistas de várias áreas da comunidade científica brasileira como Luiz Davidovich, Professor Presidente da Academia Brasileira de Ciências; Lúcia Previato, biomédica da UFRJ que foi ganhadora do Para Mulheres na Ciência em 2004 por sua pesquisa na prevenção da Doença de Chagas; Márcia Barbosa, vencedora em 2013 pelo seu trabalho que propôs uma explicação para anomalias na água; e Beatriz Barbuy, astrofísica brasileira, que já chegou a receber o prêmio 2009, além de ter sido a mulher do ano na ciência da América Latina pela Revista Época.

Requisitos

As pesquisadoras que queiram participar devem ter concluído o doutorado a partir de 2012 e ter residência estável no Brasil. Além disso, é necessário que a candidata também desenvolva projetos de pesquisa em instituições nacionais.

O júri tem critérios de escolha que incluem a qualidade e impacto do projeto e do trabalho desenvolvido pela candidata. Poderão também ser ponderadas outras características, como a independência e potencialidade da candidata frente ao sucesso do projeto. O regulamento completo está disponível no site www.paramulheresnaciencia.com.br.