Em 2040, 60% da “carne” no mundo não será feita de animais, diz estudo

Uestudo da empresa de consultoria norte-americana AT Kearney afirma que 60% do consumo mundial de carne em 2040 não será mais proveniente do abate de animais. O relatório estima que 35% da carne será produzida em laboratório e 25% terá origem vegana, com base em produtos de origem vegetal semelhantes em aparência e sabor.

Atualmente, apenas 15% do que é produzido no setor agrícola é destinado para o consumo humano (a maior parte da produção de grãos e vegetais é utilizado para a alimentação de animais que serão abatidos para consumo). Mas, segundo a AT Kearney, a previsão é que até 2040 apenas um quarto das plantações será destinado aos insumos para os animais. O relatório da empresa foi produzido após um trabalho de pesquisado realizado a partir de entrevistas coletadas com especialistas do mundo inteiro.

De acordo com a consultoria, estão crescendo cada vez mais rápido empresas como Beyond Meat, Impossible Foods e Just Foods, que usam ingredientes extraídos de plantas para substituir hambúrgueres, ovos mexidos e outros produtos. Desde maio, a Beyond Meat faturou US$240 mil de dólares (R$921,6 mil na atual cotação) e estima-se que esse valor já dobrou desde então.

“A transição em direção ao vegetarianismo e veganismo é inegável, com muitos consumidores reduzindo o consumo de carne e, como resultado, ficando mais conscientes em relação ao meio ambiente e bem-estar animal”, afirmou Carsten Gerhardt, parceiro da AT Kearney.

No ano passado, a  produção de carne com o abate de animais totalizou 10% do PIB global.  “Para aqueles que são apaixonados por carne, o aumento previsto de produtos de carne cultivada em laboratório significa que eles ainda irão saborear a mesma dieta que sempre tiveram, mas sem o mesmo custo ambiental e animal”, contou Gerhardt. (Galileu)