Em 10 meses, PM atende mais de 2,6 mil mulheres vítimas da violência doméstica

De janeiro a outubro deste ano, a Polícia Militar atendeu 2.649 mulheres vítimas da violência doméstica no Tocantins. Os dados foram informados pelo comandante geral da PM, coronel Jaizon Veras Barbosa, durante o Curso Nacional Patrulha Maria da Penha realizado em Palmas. A capacitação é para que os militares tenham conhecimentos necessários para prevenir e combater esse tipo de crime.

“Não é possível aceitarmos que, somente em 2018, de janeiro a outubro, tenhamos realizado no Tocantins 2.649 atendimentos, os quais dão uma média de nove atendimentos por dia. Há dias que o Tocantins registra 30 atendimentos em apenas 24 horas” destacou o comandante.

O curso é realizado até o dia 14 deste mês. É também voltado para policiais civis e guardas metropolitanos. Ao todo, 40 profissionais recebem a capacitação e se vão ser “multiplicadores”, poderão compartilhar os conhecimentos com integrantes de suas corporações.

O aprendizado irá resultar na futura criação da patrulha Maria da Penha que visa proteger mais de perto mulheres já agredidas para que não haja reincidência.

“A patrulha vai trabalhar nessas visitas a essas mulheres que têm a medida protetiva e com certeza com essa aproximação, a polícia estando próxima dessa mulher, a gente crê que vai diminuir os casos que vêm acontecendo e vão ajudar essa mulher na luta contra a violência”, explicou a coordenadora patrulha Maria da Penha, tenente Flávia Roberta Pereira.

Essa é a primeira edição do curso de capacitação promovido no Tocantins e a 7ª edição nacional, em parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública. “Com a criação da patrulha, vai aumentar a fiscalização, vai inibir que aconteçam novas agressões. Essa integração com as forças de segurança é muito importante para proteção dessas mulheres e de famílias que vivem nessa situação”, afirmou a delegada de Porto Nacional Fernanda Correira.(Tv Anhanguera)