Dez campanhas que chamaram mais a atenção que os próprios carros

Foguete, Pão de Açúcar, crash test: tudo era válido para conquistar o consumidor e provar que a propaganda é a alma do negócio

Comercial do outro mundo

Elon Musk é presidente da Tesla, a prestigiada marca de carros elétricos, e da SpaceX, que fabrica foguetes reutilizáveis. Portanto, nada mais natural que aproveitar para fazer uma sinergia: colocou o novo Roadster no bico de um Falcon Heavy e o mandou rumo a Marte, em uma viagem de 400 milhões de quilômetros.

Luxo pelos ares

 (Reprodução/Internet)

O Maybach estreou em 2002 com a missão de ser o rival direto dos Rolls-Royce. Para atrair os olhares dos milionários, ele chegou a Nova York de transatlântico, vindo da Alemanha, e depois foi levado de helicóptero até a bolsa de valores de Wall Street.

Cavalo nos céus

 (Reprodução/Internet)

A Ford queria fazer barulho com o Mustang conversível, em 1965. A ideia foi colocá-lo no terraço do Empire State Building, em Nova York, o que obrigou que o carro fosse desmontado para entrar no elevador. Deu tão certo que repetiram a ideia com o Mustang 2015.

Subindo na vida

A Land Rover investe forte em campanhas para mostrar a robustez de seus carros. Uma delas, de 1986, mostra um Defender escalando a parede de 45º de uma represa com o guincho e o 4×4 ligados. Foi tão marcante na Inglaterra que o Top Gear repetiu o feito em 2015.

Rota de colisão

 (Reprodução/Internet)

Em 1994, a Audi engatinhava no Brasil e queria fortalecer sua imagem no país. Foi quando teve a sacada de fazer ao vivo um crash-test do A6, no Sambódromo de São Paulo, para mostrar a segurança do então importado mais seguro dos EUA.

Ferro-velho

No comercial da Fiorino 2014, o modelo anterior foi compactado e colocado no baú do novo, com a mensagem “tem tudo do antigo e mais um pouco”.

Mas uma parte do público reclamou: alguns interpretaram que a geração anterior do furgão não prestava.

Santo de casa faz milagre

A igreja da Penha (RJ) é famosa pelos fiéis que encaram sua longa escadaria para pagar promessas. Com o lançamento do 147, em 1976, a Fiat quis provar a valentia do carrinho ao fazê-lo subir e descer os 365 degraus sem nenhuma preparação.

Bate sem parar

 (Reprodução/Internet)

A fama de frágil do Renault Dauphine tinha de ser superada. Evoluído para o Gordini, ele foi a Interlagos em 1964 para uma prova de resistência. Acabou batendo em um barranco, mas continuou assim mesmo até rodar 50.000 km. Nascia aí o apelido Teimoso, que foi usado para a versão popular do sedã.

Cartão-postal

 (Reprodução/Internet)

A tirolesa é uma atividade esportiva de aventura e, para aliar essa proposta ao CrossFox, a VW pendurou o carro em um cabo entre o Morro da Urca e o Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro. A empresa estima que mais de 60.000 turistas viram a ação em um mês.

Só tem bração aqui

 (Reprodução/Internet)

Um veículo leve transportar 1 tonelada é uma tarefa hercúlea. Para provar isso, a VW fez um comercial de TV em 1984 que mostrava duas maneiras de carregar tanto peso: nove halterofilistas levantavam a van ou todos entravam nela e seguiam viagem. (QR)