Árvore de Natal: como comprar e cuidar do pinheiro natural dentro de casa

Planta substituiu o ornamento artificial e dá um toque original para a decoração natalina

Usar pinheiro natural como árvore de Natal é uma alternativa para deixar a decoração natalina mais requintada em casa. Outra vantagem é que a planta não precisa ser admirada apenas nas festas de final de ano, pois pode ser replantada em jardins e quintais. Mas, para isso, é preciso que ter cuidados adequados com o pinheiro, desde o momento da compra. Conversamos com especialistas para te ajudar nessa missão. Confira:

A variedade de pinheiro mais comum no mercado é a tuia, também conhecida como árvore-da-vida, pinheiro-de-cemitério e cipreste. Os tipos mais vendidos são: tuia europa, tuia pavão, tuia limão e tuia maçã. Espécies como kaizucas e os ciprestes também podem ser utilizadas.

pinheiro-natural-tuia-natal-árvore-arvore (Foto: Thinkstock)

Pinheiro tuia é o mais comum nas vendas de Natal (Foto: Thinkstock)

Os pinheiros são coníferas, que não são indicadas para ambientes internos. “É uma das plantas que mais sente por estar fora do ambiente natural”, explica Eliana Azevedo, presidente da Associação Nacional de Paisagismo (ANP). Por isso, para que árvore chegue bonita na noite de Natal, ela recomenda que a compra seja feita apenas a partir do dia 5 de dezembro.

Para a aquisição, procure fornecedores certificados e confiáveis. Existem mercados que vendem gato por lebre – ou melhor, galho por árvore. “Há quem arranque a planta do solo e finge que está plantada no vaso, mas depois de três semanas ela começa a amarelar”, diz José Lira, fundador da J Lira Green Life, empresa de paisagismo.

Em vista disso, compre apenas o pinheiro que apresentar raiz. Uma dica é olhar os buraquinhos da parte inferior do vaso e verificar se há a presença de raízes.  “O diâmetro da raiz deve medir a metade da altura da planta. Por exemplo, uma  árvore com um de altura deve ter 50 centímetros de diâmetro no torrão”, informa Bob Trapé, engenheiro agrônomo. O torrão é a “mistura” entre a raíz da planeta e a terra do vaso.

pinheiro-natural-natal-arvore-raiz (Foto: Thinkstock)

O pinheiro natural deve apresentar boa raíz (Foto: Thinkstock)

Dentro de casa
O local mais indicado para alocar o pinheiro é um canto fresco, pois lugares quentes agilizam a desidratação da planta. “E um lugar sem luz solar direta”, avisa Azevedo. Girar o vaso a cada semana também é recomendável, assim todas as folhagens podem receber iluminação (que não pode ser direta) na mesma proporção.

A rega deve ser feita três vezes por semana, mas com pouca água. “Mantenha o solo úmido, mas sem encharcá-lo”, alerta a presidente da ANP.

Colocar um prato embaixo do vaso também não é indicado, visto que isso pode afogar a planta. “Regue sempre pela borda, molhando toda a extensão do borrão da planta”, detalha o paisagista Lira. Para ter certeza se o pinheiro precisa ser regado, uma dica é colocar as mãos na terra. “Se o dedo sair sujo, nem precisa de água, pois significa que ainda está úmido”, ele fala.

Enfeites
Evite colocar bolinhas e outras decorações muito pesadas, que podem entortar os galhos. Já o pisca-pisca, prefira o que seja de LED, que é de luz mais fria, pois o calor das lâmpadas convencionais pode secar e queimar o pinheiro. “A temperatura faz observar a água das folhas”, explica Lira.

enfeite-pinheiro-natal-natural-arvore (Foto: Pixabay/Jill111/Creative Commons)

Bolinhas e iluminação no pinheiro natural influenciam na saúde do pinheiro (Foto: Pixabay/Jill111/Creative Commons)

Desmontagem
Se o pinheiro estiver em boas condições de saúde e receber os cuidados adequados, ele deve durar bem por 20 dias. A partir disso, já começa a secar e as folhas vão murchando. Azevedo indica que a desmontagem seja feita antes do dia 6 de janeiro, quando é celebrado o Dia de Reis e há a tradição de retirar a decoração natalina.

Não precisa jogar a árvore fora, pois ela pode ser plantada em quintais e em vasos maiores. Primeiramente, o ideal é transportá-la para um local que tenha sombra, assim ela vai se acostumando com o orvalho da noite (umidade). “Lembre-se de regar abundantemente, molhando até um pouco as folhas”, fala a presidente da ANP. Se for plantar em uma cova, certifique-se que ela seja maior do que o tamanho do torrão – cerca de o dobro – e preencha com bastante substrato.

Caso você opte por não ficar com a árvore, procure o descarte adequado! Algumas cidades possuem serviços públicos de ecopontos, que recolhem as plantas e dão o destino correto.

Se você não quiser plantar ou não encontrar onde descartar, outra alternativa é procurar uma pessoa ou instituição que tenha interesse na árvore. “Doe para alguém que tenha uma fazenda ou casa grande, mas não desperdice”, sugere o paisagista Lira. “Não compre a árvore só para o Natal. Ela é um ser vivo que pode ficar linda por até cinco anos”, complementa.

Por Nathalia Fabro